NR-35: como funciona o treinamento para trabalho em altura?
A Norma Regulamentadora 35 (NR-35) implementa elementos necessários para a segurança do trabalhador em alturas. Dessa forma, adequar-se a ela é necessário para todos que tenham atividade acima de 2 metros do nível inferior. Para isso, existe o treinamento para trabalho em altura, realizado com base na norma, formando profissionais capacitados e adequando as empresas. […]
A Norma Regulamentadora 35 (NR-35) implementa elementos necessários para a segurança do trabalhador em alturas. Dessa forma, adequar-se a ela é necessário para todos que tenham atividade acima de 2 metros do nível inferior. Para isso, existe o treinamento para trabalho em altura, realizado com base na norma, formando profissionais capacitados e adequando as empresas. Para saber como funciona, acompanhe!

O que é a NR-35

Em primeiro lugar, afinal, o que é a Norma Regulamentadora 35? Antes de qualquer outra coisa, vamos definir o que significa esta norma técnica e o que, então, ela institui como necessidade. Pois bem, o que a NR-35 faz é estabelecer quais são os requisitos mínimos para proteger o trabalhador em alturas. Dessa maneira, ela envolve etapas que vão desde o planejamento até a organização e a execução. Dessa maneira, esta é mais uma das normas regulamentadoras relacionadas à segurança do trabalho. Isto porque tem por objetivo proteger o trabalhador através da prevenção, criando um ambiente laboral seguro. Neste sentido, então, ela dispõe de elementos como as responsabilidades, a capacitação e o treinamento, o planejamento e a execução, os sistemas de proteção e a emergência e o salvamento. Ou seja, ela traz uma série de orientações de segurança que devem ser utilizadas a fim de evitar quedas, acidentes em geral e óbitos em trabalhadores em alturas. Por isso, é importante segui-la.

Como funciona o treinamento trabalho em altura

NR-35 Entre todas as suas atribuições, a NR-35 também traz uma parte conceitual que não pode se desvalorizada. A partir desse entendimento, por exemplo, que é definido o que é um trabalho em altura. Neste sentido, a norma regulamentadora é clara ao afirmar que considera como trabalho em altura “toda atividade executada acima de 2,00 m (dois metros) do nível inferior, onde haja risco de queda”. Isto significa que, a partir do momento em que o trabalho está dentro dessa definição, é considerado em altura. Então, como resultado, deve ser aplicada a NR-35 visando garantir a saúde do trabalhador. Isto ocorre para tentar diminuir o número de acidentes sobretudo em trabalhadores da construção civil. Nesta área, esta é uma das principais causas de morte entre os profissionais, e convenhamos que bastante evitável.

Atribuições do empregador e do empregado

Entre tudo o que dispõe, a NR-35 também ressalta quais são as responsabilidades de cada um – tanto do empregador, quanto do empregado. De forma resumida, são as seguintes:

1.      NR-35 para o empregador

Primeiro, a norma institui o que espera dos empregadores. Entre elas, estão algumas indicações bastante esperadas, como a implementação da própria norma. Além disso, o empregador deve realizar a Análise de Risco e, se necessário, da Permissão de Trabalho. Também deve criar procedimentos que serão aplicados a trabalhos em altura, bem como uma prévia avaliação das condições do local e de quais medidas de segurança são adequadas. Desta forma, também é necessário informar aos trabalhadores sobre os riscos que encontrarão. Ainda, sobre os trabalhadores, deverão trabalhar sempre supervisão, e caso seja constatada alguma irregularidade, este trabalho deve ser interrompido.

2.      NR-35 para o empregado

Complementarmente, então, quais são as atribuições aos empregados? Por certo, assim como os empregadores, quem trabalha em altura também tem suas responsabilidades e deve cumpri-las. Ele deve, então, principalmente oferecer colaboração ao empregador para colocar em prática as normas necessárias. Adicionalmente, deve zelar pela saúde dos outros através de suas ações (ou omissões) no trabalho. Um ponto interessante, ainda, é que há um direito de recusa ao trabalho. Este direito é possível quando o empregador não oferece as condições mínimas de segurança exigidas pela NR-35.

Elementos do treinamento NR-35

NR-35 Pois bem, a capacitação e o treinamento para trabalho em altura também são elementos centrais na NR-35. Neste sentido, o empregador deve oferecê-lo a todos os empregados que trabalham em altura superior a 2 metros. Este treinamento, então, é considerado válido quando segue diretrizes teóricas e práticas, possui pelo menos 8 horas como tempo mínimo e tem alguns conteúdos em específico. Estes conteúdos são os seguintes:
  • Normas e regulamentos
  • Análise de risco
  • Condições impeditivas
  • Riscos potenciais e medidas de controle
  • Equipamentos, procedimentos e sistemas de proteção coletiva
  • Equipamentos de proteção individual (EPIs)
  • Acidentes mais comuns com trabalhadores em altura
  • Noções de primeiros socorros e de como atuar em situações de emergência
Este treinamento deve ser feito, via de regra, a cada dois anos. Neste sentido, porém, em algumas exceções ele deve ser feito antes. Isto se aplica caso haja uma mudança de empresa, o retorno de um trabalhador por mais de 90 dias afastado, uma mudança de procedimentos, operações ou condições e outro evento que se julgue necessário.

Como se adequar à norma técnica

Além de tudo que foi dito, a NR-35 também ensina, para além do treinamento trabalho em altura, como deve ser feito o planejamento, a organização e a execução. Há diretrizes específicas sobre isso também. Por exemplo, a Norma Regulamentadora 35 indica que em todo trabalho em altura deve haver planejamento, organização e execução de alguém que seja autorizado e capacitado. Para isso, ele deve passar em alguns exames e, por certo, ter anuência da empresa. Então, este profissional deve ser capaz de adotar um planejamento eficaz, de modo a cumprir a norma. Para isso, metodologias específicas devem ser seguidas, bem como instrumentos técnicos, como a Análise de Risco. Se você procura quem possa ajudá-lo nisso, consulte parceiros especializados. Nós da Veiga Gestão Ocupacional estamos à disposição! Clique aqui e venha conversar conosco!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *